Como escolher um curso superior?

Aproxima-se a fase em que muitos estudantes terminam o ensino superior e veem a sua entrada no mercado de trabalho como uma realidade mais próxima. Para outros, é chegada a altura de decidirem qual o curso superior no qual pretendem ingressar, uma escolha que será decisiva e definirá o posicionamento no mercado de trabalho.

 

O que deve ter em conta na escolha do curso superior a frequentar?

  • Sabe qual a área na qual conseguiria estar entre os melhores? Se não sabe, é altura de pensar nisso. Analise o plano de estudos do curso e meça o seu potencial nas várias unidades curriculares.
  • Deverá conhecer quais as profissões que, mais provavelmente, poderá escolher terminado o curso e, com honestidade, pensar se se identifica com as mesmas.
  • Meça se estaria disposto/a a emigrar pois poderá estar a analisar uma área com maior procura e com melhores condições no exterior.
  • É importante também considerar a reputação da universidade e quais os serviços que oferece aos seus estudantes e à comunidade alumni tendo em vista a sua maior empregabilidade. O curso deve ser analisado também ao pormenor. Além do já mencionado plano de estudos, deverá verificar há quantos anos o curso existe e qual o corpo docente.
  • Avaliar o nível de emprego em cada área é também crucial. Contudo, escolher o curso apenas porque é aquele com maior empregabilidade não é uma decisão sensata pois o mercado de trabalho muda desde o momento em que entra na universidade até à altura de procurar emprego na área e muitas profissões que existem hoje, não existiam há dez anos. Existem, porém, áreas que há vários anos são conhecidas pela baixa empregabilidade ou pela precariedade e essas tendências devem ser analisadas. Não deverá, porém, ser uma medida isolada mas sim ponderada em conjunto com todos os outros pontos aqui identificados.

 

As respostas a estes vários pontos não são fáceis. Para o ajudar, poderá conversar com algum alumni, participar em eventos que – através da partilha na primeira pessoa – mostram os percursos profissionais seguidos pelos ex-alunos ou poderá recorrer a um mentor. Várias são as universidades empenhadas neste processo sendo a Universidade do Minho um bom exemplo.

 

Por último, aconselha-se a que nunca deixe de estudar. Os seus conhecimentos e competências devem ser constantemente reciclados, procure uma atualização constante.